RSS

Arquivo mensal: novembro 2011

Com um pouco de atraso…

Se calarem a voz dos profetas...

No dia 20 de Novembro passado foi comemorado, de um jeito particular, o dia da Consciência Negra na paróquia Divino Espírito Santo (Jardim Planalto, SP). Alias, esta data comemorativa, no Brasil, vem sendo comemorada desde a década de 1960 e foi estabelecida pelo projeto lei número 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. Foi escolhida a data de 20 de novembro, pois foi neste dia, no ano de 1695, que morreu Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares e de todas as raças.

Naquele dia, na paróquia Divino Espírito Santo, redescobrimos o quanto a criação desta data foi e está sendo um momento forte de conscientização e de reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação cultural, econômica, social, religiosa e política da povo brasileiro. Durante a celebração sublinhamos a fato de que não se trata de polarizar uma luta entre um grupo étnico e um outro, mas sim de liberdade, de igualdade e de respeito do valor intrínseco de cada ser humano, como na invocação final da “Missa dos Quilombos” (Invocação a Mariama).

Essa oração de D. Hélder, já tem 30 anos, mas não perdeu a sua atualidade. Por isso eu venho partilhá-la hoje… Em nome de todos que lutam pelos valores eternos…

R. André
—————————-

Invocação à Mariama

“Mariama, Nossa Senhora, mãe de Cristo e mãe dos homens!

Mariama, mãe dos homens de todas as raças, de todas as cores, de todos os cantos da Terra.

Pede a teu filho que esta festa não termine aqui, a marcha final vai ser linda de viver.

Mas é importante, Mariama, que a igreja de teu filho não fique em palavras, não fique em aplausos.

O importante é que a CNBB, a Conferência dos Bispos, embarque de cheio na causa dos negros.

Como entrou de cheio na pastoral da terra e na pastoral dos índios.

Não basta pedir perdão pelos erros de ontem.

É preciso acertar o passo de hoje sem ligar ao que disserem.

Claro que dirão, Mariama, que é política, que é subversão, que é comunismo.

É Evangelho de Cristo, Mariama!

Mariama, mãe querida, problema de negro acaba se ligando com todos os grandes problemas humanos.

Com todos os absurdos contra a humanidade, com todas as injustiças e opressões.

Mariama, que se acabe, mas se acabe mesmo a maldita fabricação de armas.

O mundo precisa fabricar é paz.

Basta de injustiças!

Basta de uns sem saber o que fazer com tanta terra e milhões sem um palmo de terra onde morar.

Basta de uns tendo que vomitar para comer mais e 50 milhões morrendo de fome num só ano.

Basta de uns com empresas se derramando pelo mundo todo e milhões sem um canto onde ganhar o pão de cada dia.

Mariama, Nossa Senhora, mãe querida, nem precisa ir tão longe, como no teu hino.

Nem precisa que os ricos saiam de mãos vazias e o pobres de mãos cheias.

Nem pobre, nem rico!

Nada de escravo de hoje ser senhor de escravos amanhã.

Basta de escravos!

Um mundo sem senhores e sem escravos.

Um mundo de irmãos.

De irmãos não só de nome e de mentira.

De irmãos de verdade, Mariama!”

Dom Helder Câmara

 
2 Comentários

Publicado por em novembro 30, 2011 em Notícias