RSS

Arquivo mensal: outubro 2008

RUMMO AO DNJ 2008 IX

Oi meus amigos… Uma última palavra "rumo ao DNJ 2008". Qual poderia ser essa "palavra" para ser "Última" se não fosse a PALAVRA DE DEUS? Não tem outro jeito. A Palavra de Deus é, de fato, a palavra última que precisamos ouvir. Palavra última não é última palavra. Pode ser. É mais do que a última coisa ouvida. Como "palavra última" é uma palavra diferente e forte. Como "palavra última" é uma palavra de "autoridade", uma palavra "reta", uma palavra sem "ambigüidade". Para ser "palavra última" a palavra precisa ser "libertadora" e "eterna"; e é por isso que é Palavra de Deus. Fala Senhor…
 
"Recomende e ensine estas coisas. Não deixe que ninguém o despreze por você ser jovem. Mas, para os que crêem, seja um exemplo na maneira de falar, na maneira de agir, no amor, na fé e na pureza. Enquanto você espera a minha chegada, dedique-se à leitura em público das Escrituras Sagradas, à pregação do evangelho e ao ensino cristão. Não se descuide do dom que você tem, que Deus lhe deu quando os profetas da Igreja falaram, e o grupo de presbíteros pôr as mãos sobre a sua cabeça para dedicá-lo ao serviço do Senhor. Pratique essas coisas e se dedique a elas a fim de que o seu progresso seja visto por todos. Cuide de você mesmo e tenha cuidado com o que ensina. Continue fazendo isso, pois assim você salvará tanto você mesmo como os que o escutam." 
 
(1 Timóteo 4, 11-16: Bíblia Sagrada, nova tradução na linguagem de hoje, Paulinas, 2007)
 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 24, 2008 em Notícias

 

Discussion sur Falar sobre VEM AÍ – DNJ 2008

Voltei a publicar a carta de convocação do DNJ a fim de relembrar que, a pesar de sermos convocados a pautar as razões do nosso viver, também somos convidados a fazer tudo isso na criatividade (que é uma das marcas de nós jovens)…Então sejamos nós mesmos…

Jardim Laguna, dia 23 de Agosto de 2008

Para…………………………

Caros amigos e amigas,

 

Que a Paz do Jovem Galileu, o fiel companheiro da nossa caminhada de cada dia, esteja com cada um(a) de vocês. Acredito que é porque Ele está ao nosso lado, apesar de tudo, que possamos continuar e ousar sonhar com dias melhores. Não é? Por isso, venho, através desta pequena carta, vos lançar um “convite-desafio”:

 Como poderíamos unir mais as nossas forças como jovens da paróquia Divino Espírito Santo?

Talvez a combinação das duas palavras convite e desafio não foi a mais feliz descoberta que eu fiz para expressar concretamente o objeto principal desta correspondência, mas duas dimensões principais são sublinhadas. Primeiramente, o convite sempre é incompleto sem a resposta e a recepção. Neste caso, a recepção é o ponto de partida e o que faz com que um convite se torne um projeto, início de um planejamento. É também a qualidade do acolhimento que vai tornar o convite vivo e real. Por isso, preciso de cada um e uma de vocês para concretizar esse projeto. E aí, é o segundo ponto importante, o convite passa a ser desafio porque é sobre parceria, escolha e confiança. A partir do momento em que o convite é recebido e acolhido ninguém está mais sozinho, quer o remetente, quer o receptor. Espero que vocês tenham certeza disso: Nunca estaremos sozinhos. Caminhamos sem tremer!

Neste sentido, eu queria aproveitar do DNJ 2008 para iniciar e “visibilizar” este início de caminhada paroquial da nossa juventude. Como não lembrar que, este ano, somos convidados a pautar as razões do nosso viver como jovens na sociedade. É necessário que parássemos para refletir juntos; É importante, se quisermos reivindicar e construir o nosso espaço, que melhorássemos o nosso jeito de nos relacionarmos e de nos comunicarmos uns com os outros. É urgentíssimo nos unirmos.

O DNJ 2008 está programado para o dia 26 de outubro com o tema “Juventude e os meios de comunicação” e o lema “Queremos pautar as razões do nosso viver!” Este ano, o DNJ quer atingir um duplo objetivo: denunciar toda visão equivocada sobre juventude, mas também pensar como as mídias podem ajudar a gerar vida para a juventude. Na nossa paróquia articularemos este objetivo em três momentos de REFLEXÃO, de CELEBRAÇÃO e de CONFRATERNIZAÇÃO no Sábado dia 25 de outubro de 2008 a partir das 16 horas na Igreja Virgem dos Pobres. Todos os jovens (membros ou não de grupo de jovens) são convidados. No que disse respeito ao dia 26 propomos que cada comunidade ou grupo de jovens se organize para marcar este dia tão especial.

Algumas orientações e sugestões para preparar melhor o encontrão do dia 25 de outubro:

1-      Iniciaremos o encontrão ás 16 horas com o primeiro momento de reflexão. Em seguida, a Santa Missa para agradecer ao Deus da vida pelo dom da nossa fé de jovem. E no final da noite, após a celebração eucarística, terminaremos a festa com um momento de confraternização. Numa próxima correspondência comunicaremos com mais detalhes cada passo do dia 25.

2-      Que cada grupo de jovens ou comunidade se reúne com antecedência, (sugerimos que isso seja feito logo após a recepção da presente carta), para refletir sobre estes dois grupos de perguntas:

De que forma a juventude é apresentada pelos meios de comunicação de massa? Pela Igreja em geral? E na tua família, na tua comunidade, como a juventude é percebida?

Quais são as razões do teu viver hoje? Quais são os novos sinais de esperança da juventude que você está percebendo na tua comunidade hoje?

3-       Propomos que seja feito um relatório escrito do debate que provocará estas perguntas nos grupos e que as respostas sejam apresentadas por escrito para os demais participantes do encontrão.

4-      Cada grupo ou comunidade deverá apresentar, de forma artística (música, pequeno teatro ou dança), as suas razões de viver. Isso para animar o terceiro momento de confraternização. É importante que as apresentações sejam comunicadas aos membros coordenadores do encontrão antes do dia 20 de outubro.

5-      Cada grupo ou cada pessoa deverá levar um simples lanche (biscoitos, balas, refrigerante etc…) para partilhar com o grupo.

6-      Enfim cada grupo se preocupará de “personalizar” e destacar a sua presença no encontrão. Não esqueça os símbolos do  seu grupo, bandeiras, camisetas (personalizadas se possível). Seja criativo e original.

Que o Deus da vida ilumine cada um dos nossos passos nesta caminhada paroquial, 

Juntos somos mais,

Pe R. André

————————————————————
 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 22, 2008 em Notícias

 

RUMO AO DNJ 2008 VIII

"mis à jour": tal é a expressão francês quando queremos falar de algo "em dia", de ter as últimas atualizações e estar em síntonia com o que está sendo feito de mais recente na sociedade etc… Quantas vezes, por dia, quando ligamos o PC, recebemos um aviso de disponibilidade de atualizações para os programas informáticas? O que seriam as sciências informáticas, a internet sem as "atualizações"? Duvido que seria a mesma coisa que é hoje
"As novas expressões da vivência do sagrado", é o título do trecho do documento 85 da CNBB que quero partilhar hoje. Este trecho vem atualizar a nossa compreensão da caminhada da juventude no Brasil, especialmente no que disse respeito das novas formas de se vivenciar o sagrado. Sinceramente, depois da primeira leitura que eu fiz do trecho, há algum tempo, e em relação com a realidade da nossa paróquia, fiquei bastante emocionado tão o relatório é atual e verdadeiro. Confira você!!! Se quiser, pode deixar a tua opinião
 
——————————————————————
 
Em tal conjuntura, acontece uma redescoberta da dimensão religiosa. Há a busca de uma espiritualidade que dá unidade e gosto à vida. Trata-se, entretanto, de uma religiosidade mais individual. Face a tanto medo, pressa e caos, muitas pessoas voltam-se para vários tipos de manifestações religiosas e místicas (ocultismo, nova era, esoterismo, horóscopos, astrologia…). Outras pessoas refugiam-se em grupos fundamentalistas em que as verdades são ensinadas de maneira dogmatizada, evitando, assim, a angústia da dúvida. (#19)
 
Embora esta mudança cultural possa oferecer uma terra fértil à religião, é importante analisar com cautela tais expressões do sagrado. A abertura para o transcendente não significa, necessariamente, uma aceitação das religiões organizadas. muito fermento espiritual está sendo elaborado fora das instituições. Há estudos que demostraram que muitos jovens estão procurando razões para viver sem envolver-se com uma "Igreja". Trata-se de uma espiritualidade centrada na pessoa e não a partir de uma vivência instituional e, por isso, busca-se algo que satisfaça suas necessidades. (#20)
 
No entanto, a mudança cultural abre uma porta para o processo de evangelização dos jovens. Hoje é mais fácil trabalhar a espiritualidade, em todas as suas dimensões, que na década de 1980, quando o tempo dedicado às celebrações e à oração era freqüentemente visto como algo secundário face à urgência da transformação social. É necessário, contudo, resistir à tentação de reduzir ou manipular a mensagem do Evangelho para ganhar mais adeptos. (#21)
 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 22, 2008 em Notícias

 

RUMO AO DNJ VII

Continuidade… Documento 85 da CNBB,hoje vamos partilhar sobre a dimensão subjetiva no processo de aproximação e de compreensão da juventude (das juventudes) do nosso tempo.
 
A subjetividade, no contexto pós-moderno, particularmente em referência à juventude, merece estudos e conhecimentos aprofundados para que o diálogo e a linguagem estabelecidos com os jovens tenham impacto e força de convocação para o seguimento de Jesus. A evangelização da juventude exige atualização permanente do conhecimento da dinâmica de sua subjetividade. Este conhecimento possibilitará um adequado tratamento do fenômeno do subjetivismo que gera, facilmente, a permissividade, o egoísmo, a identificação simples da felicidade com o prazer, a incompetência para lidar com a pluralidade de solicitações e ofertas, entre outras. Estas questões afetam a subjetividade humana, particularmente a juvenil. (# 16)
 
O ideal coletivo dos anos 1970-1980 de construir um mundo melhor foi sendo substituído por uma maior preocupação com as necessidades pessoais, com os sentimentos, com o próprio corpo, com a melhora da auto-estima, com a confiança, com a libertação dos traumas etc. O ambiente de descrédito dos grandes idéias coletivos em que vivem faz com que segmentos da juventude tenham forte tendência e viver somente no presente, na cultura do descartável. Este fenômeno tem o efeito de se concentrar, no momento atual, na busca de sensações e emoções passageiras. Ao mesmo tempo, há outros segmentos que manifestam preocupação com um futuro mais próximo. (#17)
 
Neste contexto faz-se necessário buscar um equilíbrio entre o projeto individual e o projeto coletivo. Os dois grandes movimentos de nosso tempo, o movivento pela justiça social e o movimento pela auto-realização, são metades de um todo esperando para se unirem numa grande força de renovação. Porém, o equilíbrio deve ser promovido com muita sensibilidade, pois a auto-realização pressupõe a relação com o outro, com a comunidade. Ao mesmo tempo, de maneira alguma a comunidade deve ser sinônima de uniformidade. (#18)
 
1 comentário

Publicado por em outubro 21, 2008 em Notícias

 

RUMO AO DNJ 2008 VI

Hoje, venho continuar a partilha com o documento 85 da CNBB sobre os elementos para o conhecimento da realidade dos jovens. Nós vamos sublinhar os números 14 e 15 destacando os impactos da cultura moderna e pós-moderna sobre os jovens e Igreja. Prestem bem atenção… 
 
" Os jovens de hoje e a Igreja em que vivem são influenciados pelos impactos da modernidade e da pós-modernidade. Alguns elementos deste momento histórico exercem grande influência na mentalidade, nos valores e no comportamento de todas as pessoas. Ignorar estas mudanças é dificultar o processo de evangelização da juventude – o grupo social que assimila esses valores e mentalidade com mais rapidez. uma evangelização que não dialoga com os sistemas culturais é uma evangelização de verniz, que não resiste aos ventos contrários…(#14)
Dentre os muitos elementos da nova cultura pós-moderna que influem no processo de evangelização dos jovens e no fenômeno da indiferença de uma parcela da juventude face à Igreja, destacamos a subjetividade, as novas expressões da vivência do sagrado e a centralidade das emoções." (#15)
 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 20, 2008 em Notícias

 

RUMO AO DNJ 2008 V

Hoje, na ocasião do dia das missões, quero partilhar algo sobre o evangelho deste domingo (Mateus 22, 15-21). Na linha da Conferência de Aparecida, somos todos discípulos missionários. Antes de sermos anunciadores precisamos aprender com o mestre. Precisamos ser primeiro discípulos, seguidores, "imitadores" do Mestre. Hoje, neste Evangelho, Ele nos ensina algumas atitudes fundamentais do verdadeiro missionário. É interessante notar que foi da boca daqueles que queriam "enganar" o Mestre que sairam as verdades que nós vamos "pautar" nas linhas seguintes. O Verdadeiro missionário é, como Jesus:
 
1- Aquele que é verdadeiro, sem falsidade.
 
2- Aquele que ensina o caminho de Deus.
 
3- Aquele que não se deixa influenciar pelos outros.
 
4- Aquele que não julga pela aparência, não é preconceituoso: Um espírito aberto.
 
5- Aquele que sabe distinguir o verdadeiro Deus dos "deusinhos".
 
————————————————————
Agora, é a sua vez de completar a "pauta"… Dá para destacar algumas outras atitudes missionárias neste Evangelho?
 
 
2 Comentários

Publicado por em outubro 18, 2008 em Notícias

 

RUMO AO DNJ 2008 IV

Em dia: a partilha de hoje vem continuar a conversa sobre o documento 85 da CNBB. Hoje vamos voltar na parte introdutora do documento. Como eu ja disse, vale a pena conferir o texto na sua integralidade, mas antes disso prestamos bem atenção nas seguintes palavras:
 
"Conhecer os jovens é condição prévia para evangelizá-los. Não pode amar nem evangelizar a quem não se conhece… (#10)…Nas últimas décadas, ao lado da cultura moderna vem-se fortalecendo a cultura pós-moderna. A pós-modernidade não é uma nova cultura que se contrapõe de modo frontal à modernidade. Constatam-se mudanças no cenário, grande velocidade e volume da informação, rapidez na mudança do cotidiano por parte da tecnologia, novos códigos e comportamentos. Devido à globalização e ao poder de comunicação dos meios eletrônicos, essas mudanças vêm penetrando fortemente no meio juvenil. (#12)… A pós-modernidade não substitui a modernidade. As duas culturas vivem juntas. Os valores da modernidade continuam sendo importantes para os jovens: a democracia, o diálogo, a busca de felicidade humana, a transparência, os direitos individuais, a liberdade, a justiça, a sexualidade, a igualdade e o respeito à diversidade. Uma Igreja que não acolhe esses valores encontra grandes dificuldades para evangelizar os jovens." (#13).
 
Deixe um comentário

Publicado por em outubro 17, 2008 em Notícias